quinta-feira, 1 de maio de 2014

Do Martim Moniz à Alameda


Nunca fui a manifestações contra o governo porque estava numa situação mais ou menos estável. A farmácia onde trabalhava estaria aberta durante 3 anos e 8 meses a partir do momento em que lá comecei a trabalhar. Trabalhava por turnos, 24 horas, 365 dias (ou 366 em 2012) por ano. Ganhava um pouco abaixo da tabela, mas era um contrato. Sentia-me cómodo. Devido a motivos fraudulentos (eu não estava envolvido - que eu sou uma 'ssoa de bem), estive dois meses e meio para receber o ordenado, depois vi-me atirado para o desemprego. Dirigi-me então para o IEFP (Instituto do Emprego e Formação Profissional) para "matar dois coelhos de uma cajadada só", isto é, tratar do subsídio de desemprego e da inscrição para a procura de emprego. Como este Estado só quer receber e não quer dar nada, quando os papéis foram transferidos para a Segurança Social, perderam-se (e aconteceu com todas os meus colegas que seguiram a mesma via). Como não gosto de ser pseudo-parasita dos contribuintes, fui à procura de emprego. Encontrei emprego como substituição de licença de maternidade (extensível até 1 ano) a falsos recibos verdes (o que vale é que estou isento de IRS e Segurança Social) que não me protegem de nada (sem férias pagas, sem subsídio de baixa médica - com o segundo não concordo). As perspetivas são Estágio Emprego (1 ano a ganhar perto de 635€ para depois ser corrido a pontapé - a não ser que me achem muito bom - de 150 euros de despesas mensais passariam para 1100 para garantirem o mesmo ordenado) ou alguém que queira uma pessoa com experiência para aposta na qualidade (raro) ou contrato de 3 meses para reabilitar a farmácia ou um emprego numa área nova ou numa área que não tem nada a haver (tipo supermercado ou qualquer coisa assim parecida) para depois poder ser considerado menos capaz na procura de emprego porque estou afastado da minha área e fico desatualizado ou emigrar ou depender dos pais.

ISTO TUDO NÃO ME DEIXA MUITO CONFORTÁVEL! PORTANTO HOJE VOU-ME MANIFESTAR!

P.S. - Hoje trabalhei 5 horas (o que vale é que dá direito a 12 horas e meia de descanso - que aqui não se paga nada a mais).

11 comentários:

  1. É às 14h30. Pode ser que ainda possas!?

    ResponderEliminar
  2. realmente o país está numa fase muito complicada...

    r. eu vou ser feliz, mas não é a partir da infelicidade dos outros ;)

    ResponderEliminar
  3. Infelizmente é o estado do nosso país...

    ResponderEliminar
  4. Respostas
    1. Como estava acompanhado, fiz uma mini-tour. Comecei no Martim Moniz no fim da fila e acabei na Alameda no início da fila.

      Eliminar
  5. este ano, não saí da margem sul.
    situação fraudulenta numa farmácia... privada? e depois temos os maus exemplos de organismos públicos.
    o país está como está por causa disso tudo, Estado e privados. fraudes, corrupção, incompetência pura. felizmente, há excepções, com trabalhadores e instituições boas, mas desses ninguém fala. acabamos por pagar todos pelos pecadores.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sim. farmácia privada - a mais polémica do país. Neste país, é só tachos. Incompetentes como chefes e depois a coisa não funciona e também não os vão tirar. Quantos ministros ou assessores ou qualquer coisa assim parecida é que não foram já importantes magnatas (EDP, PT, BRISA, GALP...

      Eliminar