quinta-feira, 25 de junho de 2015

Aventuras Na Farmácia XV - Salvamento



Um dia destes, estou eu sozinho na farmácia, quando me entra um senhor na farmácia a dizer que se sentia muito mal, especialmente do coração. Medimos a tensão e, de fato, era verdade. Perguntei qual o medicamento que ele tomava e dei-lho logo sem pensar se o senhor mo iria pagar se não (assumiria eu o custo). Chamei o 112 que só me atenderam à 3ª vez, não sei se por incompetência ou excesso de ligações telefónicas para os operadores (vou considerar a 2ª, pensei na 1ª na altura por pânico). O senhor já estava com uma irradiação da dor para o braço e sudorese (ai, senhor que me morre aqui - pensei eu). E o raio das velhas calhandreiras foram para a farmácia ver o que se passava e a querer que eu as atendesse. Quase que me apetecia mandá-las para o Car**** (algumas, se calhar, agradeciam e ficavam mais felizes e menos chatas e loucas). E tiveram que esperar. Bem feito! Quando o INEM chegou, já o senhor estava bem e foi ao hospital só para ter a certeza. Veio-me agradecer com a companheira uns dias depois. E eu fiquei todo convencido (só um bocadinho).

8 comentários:

  1. Que bom que não aconteceu uma tragédia! Que sorte!
    Quanto a sua receita de CA_ _ _ _ _ eu sei que muita gente ia ficar boa rapidinho com ela! rsrsr

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem!
      Acabava-se logo com uns anti-depressivos, uns ansiolíticos e uns analgésicos. :P

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Pagou assim que se sentiu melhor. Será que viria pagar se tivesse ido de urgência? Talvez...

      Eliminar
  3. Nem toda a gente teria esse comportamento. Muitos parabéns.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tirei o curso de primeiros socorros. O primeiro fugi, o segundo ajudei, o terceiro salvei. Estou a caminho da redenção plena dos meus pecados. :D

      Eliminar